Categoria: Meus textos

Deixa eu imaginar

Gosto de te observar de longe, de perto, de escutar a sua voz, de olhar diretamente em seus olhos e imaginar várias possibilidades. De imaginar que guarda um sentimento a mais por mim, de acreditar que você vai me dizer algo a qualquer momento.

Não sei explicar o que sinto por você, talvez seja uma simples atração física, emocional, carência ou coisa semelhante. Mas quando me aproximo de você sinto uma espécie de frio na barriga, um estranho receio de parecer “estranha” ou ser inconveniente. É difícil expressar em palavras coisas que a gente sente, só sei que é bom sentir.

Como nada é perfeito em alguns instantes o encanto se quebra, por causa de algumas atitudes e palavras, aí acabo achando você um “ogro”. Mas com o tempo vi que você é do bem, só é marrento mesmo e gosta de irritar as pessoas. Provavelmente nem sabe que me irrita, ou talvez saiba. Até porque não sei disfarçar certas emoções.

Talvez eu esteja divagando sobre algo que não existe e não há possibilidade de existir, mas me sinto bem imaginando o que poderia ser,o que não pode ser e o que tem que ser. Seja o que for estou pronta. No momento estou curtindo o seu jeito de ser, suas manias e sua companhia, mesmo não sendo da maneira que imagino.

Não Basta Gostar

Eu estava devendo um texto sobre o período que me ausentei do blog. Por conta de compromissos de trabalho e até mesmo do meu curso,  acabei o deixando de lado. Mas também essas não foram as únicas coisas que me fizeram deixar de dar atenção ao blog, eu passei por momentos em que me fiz inúmeras perguntas. A mais frequente delas foi se realmente fazia sentido continuar tendo um espaço na Internet para escrever sobre tudo que gosto. Confesso que esse questionamento me incomodou muito. Como assim não faz sentido? Se é algo realmente prazeroso pra mim, obviamente faz muito sentido. 

Via Giphy

De certa forma eu não estava totalmente ausente, mesmo não postando como antes, eu dava um jeito de acessá-lo e rever os posts antigos, além de me divertir com detalhes engraçados, alguns até estranhos,  também me alegrava ao perceber como eu havia evoluído em muitos aspectos. A escrita é o principal deles. 

Foi esse simples ato de querer acessar o blog que não me deixou esquecer de vez dele. Ele me ajudou a não deixar as pessoas bacanas que fizeram parte do início do felicisses e estão comigo até hoje, para trás. 

O que eu pude aprender com tudo isso,  foi que muitas vezes não basta gostar de determinadas coisas, é preciso colocá-las numa posição de prioridade,  de importância. Existem momentos na vida que por conta das circunstâncias ou das nossas próprias escolhas cometemos certos erros, o que é normal e também compreensível. 

Como vocês podem perceber,  estou retomando aos poucos. Os dois últimos posts são sobre dois filmes que vi há poucos dias. Independentemente da minha rotina, desejo que no ano que está prestes a chegar, eu possa levar o blog realmente a sério, sinto que ele necessita dessa atenção. 

Via Giphy

 

Pra vocês terem uma ideia nesse exato momento tô escrevendo esse texto deitada na minha cama,  estou utilizando o aplicativo JotterPad pra realizar a missão com sucesso rs, inclusive o recomendo pra quem ainda não conhece e gosta de escrever com praticidade. 

O que quero dizer, é que essa ideia tava martelando na minha cabeça e não iria conseguir dormir sem dar essa justificativa pra mim e principalmente para quem gosta de acompanhar o felicisses. 

Acho que agora estou mais aliviada. Desejo sucesso a todos nós que mantemos nossos blogs ativos. É sinal de que mesmo que uma ausência ocorra, eles ainda estão ali aguardando ansiosamente nossa companhia. E o desejo de continuar está sempre dentro de nós.

Via Giphy

 

Meu bem

A primeira coisa que faço todas as manhãs é checar meu celular na esperança de ter algo seu. Sei que parece ser uma atitude louca e ao mesmo tempo estranha. Mas lá no fundo sei que você necessita me dizer uma coisa importante, do tipo que seria uma injustiça não expor.
Tenho que te pedir desculpas pelo que pretendo responder quando enviar uma mensagem. Dá pra notar pelas fotos que posta nas redes sociais, ele não te faz tão feliz assim, o disfarce é desnecessário. Comigo não cola. Além do mais não vejo química, às vezes fico me perguntando o que te fez sentir atraída por esse cara. Tudo bem, não posso negar que ele é bonito, mas sei que esse detalhe pra você é quase irrelevante. A conheço tão bem pra saber que possui uma sensibilidade incrível e que valoriza detalhes mais profundos e interessantes.
Lembro do dia em que me deu um CD do Coldplay, se estiver pensando que sou aqueles ex-namorados que no fim da relação jogam tudo no lixo está muito enganada. Bem que eu até poderia ser assim, mas sinceramente não consigo. Quem sabe se fosse outra mulher, não sei, mas é você.
O que sentia não mudou. Posso responder por você, sei que que ainda tem sentimentos por mim, só falta coragem de consertar algumas coisas do passado. Eu sei que sim, é a inevitável realidade meu bem,
Vi sua última publicação, sério mesmo?  Vai casar com ele?
O que a gente conversou um certo dia sobre não brincar com o coração alheio? Pelo jeito você esqueceu.
Não brinca comigo meu bem, minha paciência está esgotando, estou aguardando um sinal seu.
Não me faça mostrar o lado que você desconhece.

Quarta dos namorados

E eis que chega mais um dia 12 de junho, a famosa data dedicada aos casais de namorados. Neste ano deu numa quarta-feira. Até postei no meu twitter hoje a seguinte frase:
“Para muitos hoje é o “dia dos namorados”, pra mim é só quarta-feira mesmo.” rs.
Mais uma quarta como outra qualquer. Acho bacana ver as fotos fofas nas redes sociais, declarações e tudo mais. Realmente é admirável ver quando uma pessoa tem alguém especial do lado pronta pra estender a mão no que for preciso, para compartilhar os momentos da vida, sejam bons ou ruins.
Mesmo tendo o lado bonito da comemoração, é quase impossível não pensar no lado não tão bom assim, estou falando da vida real. Infelizmente nem tudo que vemos na internet é tão verdadeiro assim, por mais que possa parecer. É fácil alguém publicar uma foto linda acompanhado de outra pessoa, colocar uma legenda de impacto e postar no facebook. Por outro lado muitos fazem isso e quando ninguém está vendo mostram a verdadeira face perante as situações comprometedoras.
A data é uma homenagem aos namorados, mas infelizmente nem todos os homenageados são namorados ou pelo menos acham que são.
Será que é legal ter um relacionamento simplesmente por ter e nada mais? O verbo namorar se encontra banalizado. É chato dizer isso mas é a verdade. São poucas as pessoas que levam esse tipo de compromisso a sério, poucas mesmo.
Eu vejo tantas coisas bizarras que é até difícil comentar, só sigo refletindo sobre certos acontecimentos envolvendo os chamados “namorados”.
Você aí do outro lado da tela pode até pensar, “ah ela está frustrada por não ter um companheiro e está desabafando na internet”. Não, está bem longe disso. Sou um tipo de pessoa que quando estou bem sozinha só entro em um relacionamento quando estou verdadeiramente disposta, quando vejo que gosto da pessoa e que vale a pena investir. Caso contrário nem invento.
Estou bem com a minha companhia e amor próprio. Antes de amar outra pessoa você deve se amar. Isso é o princípio de tudo.
Fica aí a reflexão rs.

Segue o fluxo

Existem coisas que por mais que a gente queira que voltem a ser como antes, na maioria das vezes nunca são. As pessoas mudam, o jeito de ser muda, a vida muda e as circunstâncias também. Um dia  você gosta de alguém a ponto de abrir mão de muita coisa, no outro você não sente nada quando recebe uma simples mensagem da mesma pessoa. É um claro sinal que a intensidade dada ao relacionamento não valeu a pena.
Têm pessoas que passam pela nossa vida simplesmente para deixarem suas marcas, sejam elas boas ou ruins. Também têm pessoas que não acrescentam nada, estão ali para ocupar espaço e nada mais.
O tempo não para, as mudanças são constantes, num piscar de olhos ninguém é mais o mesmo. Que bom que as coisas sejam assim, tudo bem. O fluxo da vida é e sempre será assim.

Escrever é

Escrever é um ato de liberdade.

Com as palavras me liberto.

Com elas encontro a minha verdade.

Consigo enxergar o que erro e acerto.

Escrever é uma forma de me conhecer,

uma forma de registrar meus medos.

A escrita consegue me fortalecer.

É através dela que navego em meus segredos.

Escrever é um tipo de arte,

para muitos é uma forma de escapar,

de coisas que não querem fazer parte.

As palavras as fazem viajar.