Grimberrys: Entre Livros, Aventuras e Mistérios

A história que estou prestes a contar pode parecer mentira para muitas pessoas, mas só quem viveu vai saber que estou dizendo a verdade. Meu nome é Gregory, moro em Grimberrys , uma cidade pacata e com má fama por causa de bizarrices de alguns moradores. Minha mãe trabalha na biblioteca mais famosa
da cidade e eu vivo com ela, para a minha sorte ou não. Os livros que ela
guarda na estante são cheios de mistérios, um deles é um chamado “Livro de Aventuras”, diz a lenda que se você ler a história em voz alta quatro vezes, os personagens ficam presos no mundo real. Um certo dia estava no meu quarto e vi uma garota baixa de cabelos e olhos castanhos passando pela porta, perguntei quem era e ela não quis responder. No dia seguinte por curiosidade abri o livro de aventuras e curiosamente a foto
da personagem era parecida com a menina que eu vi. A partir daí já percebi que não existia lenda, era a mais louca realidade. Me lembro de um dia estar lendo “Harry Potter e o Prisioneiro de Askaban” e quando olhei pro lado estava um senhor de barba comprida me olhando atentamente, ele não falou comigo, só observou o meu quarto por alguns instantes e folheou alguns livros. No momento que a minha mãe me chamou para jantar, o personagem misterioso some, mais uma vez fiquei sem entender. Quando estava jantando vi um bicho estranho passando pela janela, estava a caminho do meu quarto, fui obrigado a abandonar a minha refeição, óbvio que minha mãe não gostou muito, mas a
minha curiosidade era maior que a fome. Ao chegar no quarto o bicho estava parado olhando pra mim, vi que ele tinha os olhos grandes, orelhas compridas e azuis, além dessas caraterísticas ainda fazia um barulho esquisito com a boca, não sei se estava tentando se comunicar comigo ou tentando me apresentar o seu “idioma”. Segundos depois minha mãe bateu na porta super brava pois eu
tinha abandonado o jantar. Para o meu azar o bichinho se assustou com o
barulho, abriu o meu armário e se escondeu, pelo menos achei que isso tivesse acontecido. Quando abri o armário vi que só havia roupas e sapatos, nada mais que isso. O que me deixou muito intrigado e ao mesmo tempo assustado. Naquele momento eu fiquei com medo de estar louco, de estar vendo coisas que não existem, por outro lado queria pesquisar a fundo todas os mistérios. Os acontecimentos acima são só alguns, tenho várias experiências sinistras para mostrar e segredos que nem minha mãe sabe. Querido diário obrigada por ser meu fiel companheiro e não duvidar de mim, graças a um feitiço indicado pelo “bruxinho Travicots” eu posso deixar você invisível para nenhum intruso bisbilhotar os meus escritos. Sinto muito querido diário, mas vou ter que ir embora pois tenho prova semana que vem e minha mãe vai me matar caso tire notas ruins no colégio. Adios só por alguns dias, eu espero.

Ilustração: Thais Felicia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s