Você decide o final da história

Mais um dia se inicia na vida de Aria, mais um café da manhã recheado de perguntas e sarcasmos de Samantha, sua mãe. Ela já estava acostumada com a situação, embora achasse um total sacrifício lidar com isso.
Aria começa a olhar em direção a mãe e diz
-Algo de errado comigo? Se tiver, por favor me diga. Esse seu olhar me assusta na maioria das vezes.
-Filha, eu sei que a sua vida não está exatamente um paraíso, sei também que as coisas não saíram como você imaginava. Sinto muito por isso. Prometo que vou consertar as coisas.
-Por favor, me poupe de melancolia em plena manhã. Já bastam os filmes dramáticos que vi ontem. Pelo menos, os dramas foram causados por pessoas consideradas normais. Não posso dizer o mesmo da vida real, se é que me entende. Se me der licença preciso sair, mais um minuto nessa casa e eu enlouqueço.
A mãe de Aria não teve outra saída senão se calar, claro que ela não gostou de ouvir as duras palavras da filha, mas lá no fundo sabia que eram verdadeiras. Apenas não queria admitir, sempre foi orgulhosa.
Samantha acabara de passar por uma separação turbulenta, o seu ex-marido Edward Simgrs havia a traido com uma secretaria e desde então resolvera assumir o relacionamento. Foi um verdadeiro escândalo, a família Simgrs sempre fora discreta.
Aria culpa a mãe por toda situação, o casamento de Edward e Samantha era aparentemente perfeito. Sr e Sra Simgrs um modelo a ser seguido na pequena cidade de Beneds.
Por trás da aparente perfeição se escondiam grandes conflitos, uma mulher viciada em jogos de azar, um marido viciado em trabalho. Dois vícios em uma relação, já era de se esperar que a bomba fosse explodir.
Aria nunca desconfiou de nada, sempre passava a maior parte do tempo com os amigos, no colégio, em viagens. Poucas vezes se encontrava na mansão Simgrs. Talvez não tenha motivos para culpar a mãe, quando Samantha mais precisou estava ausente. Uma pessoa viciada não tem forças para reconhecer limites.
Tal mãe, tal filha. O orgulho é uma marca registrada em ambas.
Quanto ao pai, Aria não julga tanto. Sabe plenamente dos seus erros, mas considera uma simples consequência das atitudes da mãe. Na cabeça dela, a traição só ocorreu devido ao vício de sua mãe. Pobre garota inocente, mal sabe a verdade.
Qual a verdade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s