Conto do Wattpad- Janelas da alma

107280994-256-k134063.jpg

Todos os dias no finalzinho da tarde, eu costumava ficar sentada no banco de uma praça. Sozinha mesmo, nunca fui muito sociável.

Muitos pensamentos invadem minha mente todos os dias, a maioria são indesejáveis. Me pergunto se existe alguém que gosta de mim. Já gostei muito de uma pessoa, mas ela nunca soube disso. Se depender de mim nunca irá saber.

Não sou do tipo de pessoa que me abro facilmente, nem com a minha mãe sou assim. Não me sinto confortável, muito menos segura.

A única “pessoa” que sabe de tudo o que eu sinto, o que faço, os meus desejos é o meu diário. Divido com ele as minhas particularidades. Ele me dá conselhos, sim, verdade. Quando escrevo nele me transporto, me liberto de coisas que me fazem mal. E ele de certa forma me compreende e me ajuda.

Das histórias da minha vida que já compartilhei no diário, tem uma que nunca me esqueço. Lembro com muito carinho, todos os dias.

Vou dividir com vocês, exatamente como está escrito no meu querido diário.

” Numa terça-feira, lá estava eu no banco da praça mais uma vez, com o meu companheiro fiel, meu diário. Estava tão distraída que não percebi que uma rapaz se aproximou e sentou também no banco. Eu não esbocei nenhum reação, pelo contrário fiquei igual a uma estátua.

De repente o rapaz me perguntou o que eu estava escrevendo e eu olhei para ele muito nervosa e tímida. Respondi que gostava de escrever poesias. (Na verdade não era nada disso, escrevia meus pensamentos mais profundos que ninguém poderia ler).

O rapaz fez mais perguntas e eu tive que responder sem jeito mesmo.

—Peço desculpas pela minha curiosidade, mas posso ler uma de suas poesias?

—Não… quer dizer não estou segura para mostrá-las. E muitas ainda não estão finalizadas.

—Tudo bem. Eu compreendo. Meu nome é Guilherme e o seu?

—Me chamo Melinda.

—Lindo nome, sua mãe que escolheu?

Fiquei em silêncio, não sabia responder essa pergunta. Sei lá quem escolheu meu nome. Não lembro nem o que eu comi no jantar de ontem.

O Guilherme percebeu que de certa forma estava sendo inconveniente comigo. Continuei escrevendo as minhas “poesias” e ele ficou em silêncio por alguns minutos observando a movimentação da rua. Então ele resolveu falar mais alguma coisa.

—Tudo bem, Melinda. Eu notei que você não gosta muito de conversar. Pode ouvir pelo menos o que eu tenho a dizer? São sinceras palavras.

Balancei a cabeça indicando que sim.

Naquele exato momento pude perceber que o Guilherme tinha algo importante para me dizer. Via nos olhos dele. Descobri que tínhamos muitas coisas em comum, me surpreendi com as suas histórias de superação, de força de vontade.

Ele me contou que não conseguia sair de casa, ficava lá dentro escrevendo as suas poesias. Não tinha coragem de sair e ver o mundo lá fora. O mais incrível ainda que ele me contou, foi que ele era o meu vizinho. Todos os dias ele ficava me observando da janela da sua casa, via meu olhar de tristeza, mas conseguia enxergar nele uma certa luz e esperança.

Estou chorando escrevendo isso, como o Guilherme havia dito, foram sinceras palavras.

Depois desse dia nunca mais o vi. Ele me fez enxergar que eu era importante, que eu tinha que ser mais segura. Tinha que ser mais aberta com a minha mãe. Ele me mostrou um verdadeiro mundo de poesias.

Não sei onde ele está nesse momento, mas o considero como um irmão. Uma pessoa iluminada que fez a diferença na vida de alguém em poucas horas.

Isso me fez refletir bastante, muitas vezes as pessoas alimentam pensamentos obscuros em suas mentes, pensamentos que as levam ao fim de suas vidas. São poucas as pessoas que estão dispostas a conversar com alguém, a dividir experiências boas, oferecer palavras de incentivo.

Sinceras palavras podem fazer grandes diferenças na vida de uma pessoa.

A partir daí, resolvi ser uma nova pessoa, por causa das sinceras palavras de um ser humano que conseguiu enxergar a minha verdadeira essência que estava presa no meu corpo.

Entendi que eu não tinha motivos para viver como antes. Mesmo se tivesse, a vida não é feita de alegrias, tem os momentos das dificuldades. Temos que encontrar forças para vencer e ajudar outras pessoas. Decidi ser um Guilherme na vida das pessoas.

     Leia também no Wattpad:

Conto “Janelas da alma”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s